YOSHIMITSU YAMADA

Texto extraído da página do grupo de Yoshimitsu Yamada Shihan. Tradução livre.

70_03Yoshimitsu Yamada nasceu em 17 de fevereiro de 1938 em Tóquio. Seu pai, Ichiro, era professor acadêmico e sua mãe, Michio, cuidava da casa. A família do pai, era parente da família Abe e, quando ainda menino, Ichiro perdeu os pais, os Abe o adotaram.

A situação do Japão durante a Segunda Guerra Mundial, forçou as duas famílias a emigrar para a Coréia nos anos quarenta e estabelecer-se em Chinju, uma pequena cidade a cerca de 200 quilômetros de Seul. O chefe da família, Kazo, arrendava terra e tinha seu próprio negócio, enquanto Ichiro Yamada foi dedicada ao negócio de mineração. Eles ficaram na Coréia até o final da guerra.

Tadashi Abe,  primo de Ichiro Yamada, praticou Aikido desde 1942. Este coincidencia certamente afetou a vida de Yoshimitsu. Com apenas alguns anos, Yoshimitsu  teve contato com O’Sensei antes de irem para a Coréia em uma exibição de artes marciais na casa da  família Abe. Este encontro deixou uma impressão duradoura. Ele lembra, como se fosse hoje, o homem, tranqüilo, que O’Sensei parecia à primeira vista, mudando para alguém totalmente diferente sobre o tatame, um efusivo e misterioso mestre das artes marciais.

Provavelmente esta reunião influenciou a decisão tomada por Yoshimitsu aos dezoito anos e em 1955 decidiu se juntar ao Hombu Dojo como uchi-deshi. Isto pode ser devido à recomendação de Tadashi Abe, pois o jovem pretendente nunca havia treinado nas artes marciais. Seu primeiro dia como uchi-deshi também foi seu primeiro dia na tatame. Ele logo fez amizade com o seu sempais Nabuyoshi Sadateru Tamura e Arikawa.

usaf_usafhistory_1O Hombu Dojo naqueles dias era um lugar completamente diferente hoje. A casa da família Ueshiba fazia parte do dojo, e Morihei, apesar de frequencia irregular, frequentemente aparecia no tatame. O’Sensei representava uma autoridade sem precedentes para todos os uchi-deshis. Com o seu comportamento apresentava todas as qualidades que um jovem japonês estava tentando obter na época.

O treinamento foi exigente e a vida no dojo de uma natureza quase ascética. Isso ocorreu devido à difícil situação econômica após a Segunda Guerra Mundial. Hombu Dojo, não tinha especial destaque no padrão geral de vida no Japão. O edifício não era aquecido e no inverno a temperatura caia abaixo de zero, no verão o calor castigava. O área do deshi não tinha espaço ou muitas coisas pessoais, e sua vida estava sujeita ao ritmo de vida no dojo sendo raros momentos de privacidade. Cada uchi-deshi tinha que fazer determinadas tarefas e participar de aulas particulares. Yoshimitsu Yamada ainda se lembra daquele tempo. A primeira aula, era liderada por Kisshomaru Ueshiba, com início às 06:30, depois tinha outra às 8:00 ou com Koichi Tohei ou Kisaburo Osawa, que uma vez por semana era substituído por Kenji Tomiki. Hiroshi Yamaguchi e Seigo Tada davam aulas às 15:00 h e 16:00 h e as 18:30 eram dadas por professores diferentes. Koichi Tohei era um ídolo para muitos professores, que ficaram impressionados com seu caráter e habilidades técnicas. Muitos Uchi-deshi  lamentaram que estivesse cada vez mais envolvido com a gestão da escola no Havaí e raramente ia a Tóquio. Com o tempo, o crescente número de alunos Yasuo Kabayashi, Kazuo Chiba, Mitsunari Kanai e Seichi Sugano que junto com Yoshimitsu Yamada, formaram um grupo coeso de amigos.

Apesar de que eles estavam envolvidos na formação e vida do dojo, cada um secretamente sonhava em deixar o Japão, que após a ocupação dos EUA, foi aberto para o mundo. Yoshimitsu Yamada, era um representante do Hombu Dojo,  ensinado aikido nas bases militares americanas. Ele aprimorou seus conhecimentos de Inglês e conhecia a cultura e as tradições que o fascinava. E queria ir para a América.

hqdefaultNo início dos anos sessenta havia uma chance. O pretexto foi a iniciativa de um grupo americano de entusiastas interessados em Aikido. De Nova York Eddie Hagihara de Nova York, que Yoshimitsu conheceu pessoalmente no Japão, contatou o Hombu Dojo. Em 1964 ele pediu ao Hombu Dojo – Sede Central do Aikido – para fazer uma exposição de aikido na Feira Internacional de Nova York. No principio o dojo foi representado por Koichi Tohei, mas devido a uma lesão teve-se de mudar de planos e enviár  Yoshimitsu Yamada. Aproveitando a oportunidade este conheceu seus amigos americanos e concordou em ocupar-se da escola de Aikido de Nova York. No entanto, seu destino poderia ter sido totalmente diferente já que  naquele momento Tadashi Abe tinha estado em França e Yoshimitsu aspirava a sucedê-lo. Mas seu amigo e sempai, Mabuyoshi Tamura, que ainda é até hoje* principal pessoa do Aikido na Europa assumiu esse papel e, Yoshimitsu Yamada  foi delegado para a Costa Leste do U.S. Ele escolheu Nova York como sede central.     * N.T. O texto é de época anterior , mas hoje temos infelizmente Tamura Shihan já falecido desde 2010, grande perda do aikido neste ano. Mas seu caminho trilhado por tantas décadas gerou uma enorme quantidade de praticantes de aikido na Europa, sobretudo na França.

Inícios são sempre difíceis, mas o que o jovem professor de Aikido teve de enfrentar, em Nova York exigiu um grande empenho pessoal, paciência e esforço. O grupo nova-iorquino não foi bem organizado, ninguém tinha experiência na gestão de uma escola de Aikido e Yoshimitsu tinha que fazer tudo do zero, desde as questões organizacionais até as técnicas de ensino. A falta de recursos financeiros não facilitava a situação e, juntamente com o primeiro-uchi deshi de Nova York, Ángel Tineo-Álvarez vivia e dormia no vestiário para alugar depois um apartamento e isto foi apenas um sonho naquele momento. Todo o dinheiro ia para a manutenção da escola e as perspectivas não eram promissoras.

Aikido não era muito conhecido na U. S. Costa Leste do U.S. e a possibilidade de promover esta arte marcial usando métodos tradicionais eram muito limitadas devido a razões económicas e anunciando nos meios de comunicação era muito caro. A única maneira que era possivel divulgar era em exposições públicas. Felizmente, graças à bondade de outras escolas de artes marciais, havia muitas oportunidades para apresentações públicas, por exemplo, durante os campeonatos de karatê. Assim apareceram muitos estudantes de outros dojos de artes marciais e queriam experimentar novos caminhos. Estes primeiros anos foram um grande desafio para Yoshimitsu, mas foi fortemente apoiado pelos seus alunos, que estavam envolvidas em questões no dojo. Alguns deles são Mike Abrams, Harvey Konigsberg, Harry McCormack, na década de 60 teve uma média de cerca de 50 pessoas em treinamento  no dojo.

O instrutor principal de NY Aikikai não teve tanta sorte. O visto de intercâmbio cultural não lhe garantia uma longa estadia nos EUA e estava ameaçado de ser deportado para o Japão. Novos problemas surgiram com o nascimento de seus filhos. Dois dois nascidos nos EUA foi concedida a cidadania ea permissão para ficar. Yoshimitsu e sua esposa e filha mais velha, nascida no Japão não poderia ficar. Para tentar proteger a sua família a da lei de imigração implacável tomou uma decisão difícil: sua esposa de volta para casa com as crianças. Esta separação de sua família imediata, no momento, é algo que Yamada Sensei lamenta até hoje.

Aikido lentamente foi se tornando atraente para as pessoas não só de Nova York, mas em toda a Costa Leste. Isto foi devido principalmente ao empenho incrível de Yamada Sensei. Viajava tanto, para Boston, Sul de Nova Jersey, Pensilvânia e no Canadá, que seus alunos começaram a  reclamar que ele nunca estava em Nova York. No entanto, como ele era a única pessoa com a experiência certa, tinha que cuidar de tudo. As ações Yoshimitsu Yamada foram deliberadas. Estava trabalhando na fundação do grupo para ao longo do tempo ter muitos grandes professores que hoje têm suas próprias escolas.

Sendo assim por estar Yamada Sensei envolvido nesta missão, para o que foi enviado para os EUA comecou os esforços a surtirem efeito. Quando o  situaciación do dojo de Nova York tornou-se estável, os dojos mais populares de aikido estavam operando de forma eficaz, era hora de estabelecer uma organização para formalizar e especificar a cooperação do ponto de vista administrativo. Assim, em 1968 criou-se a United States Aikido Federation (Federação Americana de Aikido). Isto é fruto da cooperação entre professores delegados pelo Hombu Dojo a atuar nos Estados Unidos, sendo a maior organização na América do Norte.
Seu problema de visto terminou em 1972. Yamada Sensei começou a utilizar intensamente a liberdade adquirida para promover o Aikido fora dos Estados Unidos. Uma de suas primeiras viagens foi a convite do Sensei Tamura na França em 1973.

Os anos oitenta foram um período de relativa estabilidade. Duas décadas após a instalação do dojo dos EUA, em 1984 houve um curso de verão com o grande Doshu Kisshomaru Ueshiba. Este ponto  foi um incentivo para trabalhar ainda mais. Sensei viajou mais e mais e em 1992, convidou Seichi Sugano Sensei para cooperar com ele. Sendo amigos na época do Hombu Dojo, se juntaram na New York Aikikai, dando à escola uma importância singular. O dojo em Nova York é a única escola no mundo em que dois alunos diretos de O Sensei trabalharam juntos.
Sensei Yamada lembrou que só depois de 20 anos começou a ver os resultados do seu trabalho. Os primeiros 10 anos foram dedicados à escola e tornar o caminho mais maduro em Nova York, e os seguintes 10 anos serviram para o desenvolvimento do aikido na Costa Leste. Disse que por causa das dificuldades e problemas enfrentados, tornou-se mais maduro. Após cinquenta anos veio começar a aceitar o fato de que as pessoas o chamem de “Sensei”. Antes disso, ele sempre se perguntou: “Eu ganhei o direito que as pessoas  me chamem assim?”

Yoshimitsu Yamada passou no Hombu Dojo  cerca de sete anos. zen-bgDesde então, o conjunto de técnicas que são ensinadas mudou muito e o aikido em si é um pouco diferente da primeira arte marcial que o uchi-deshi de Morihei Ueshiba aprendeu. Apesar destes desenvolvimentos, o Sensei Yamada tenta transmitir as coisas que ele aprendeu na época. De ensinamento ortodoxo, ensina o básico, tentando não mudar. Cre que uma base sólida é necessária para o desenvolvimento adequado. É um entusiasta da prática intensa como um meio de desenvolvimento físico e espiritual. Não faz oposição a treinar duro dentro do espírito do Budo, mas isto não justifica a brutalidade e estupidez no tatame. Ainda viaja frequentemente visitando quase todos os continentes. Ele é presidente da Federação Americana de Aikido e associação SANSUIKAI Internacional de Aikido, uma associação que congrega todos os países da América Latina e países de outros continentes. Ele é autor de vários livros e DVDs de aikido.

1yyQuando perguntado quais são as coisas que ele mais se orgulha, Yamada Sensei disse que é de seu próprio dojo, do fato de que ele contribuiu para o desenvolvimento do Aikido no mundo e que têm ajudado muitas pessoas a se tornar excelentes professores de aikido.

Algum sonho? Comprar um terreno perto de Nova York e montar algo parecido com o dojo de Iwama na sua época. Ter muitos uchi-deshi, continue com os treinamentos… fazer um pequeno dojo …

MAIS DE YAMADA SENSEI – PÁGINA AIKIDOSPHERE